A Batalha do Apocalipse - ousadia ou fantasia?



      A fantasia esteve presente do início ao fim do livro A Batalha do Apocalipse, de Eduardo Spohr, mas a pergunta que não quer calar é :  o que destacou mais o livro:  a ousadia ou a fantasia?
     O autor criou um universo com diversos mundos e com personagens  fantásticos como: anjos, demônios, fadas, dragões, atlantes, bruxos, feiticeiras, fantasmas, monstros alados, elfos e etc, em tempos de grandes estórias sobrenaturais. Porém, um tanto ousado, Eduardo Spohr, reescreveu histórias bíblicas como a "História da criação", "A torre de Babel", "Sodoma e Gomorra", e o "Nascimento e a Ressurreição de Jesus", acrescentando ficção, o que provocou críticas de alguns religiosos que acreditam que ABdA possa colocar em dúvida os registros do  Livro Sagrado.
    Mas, a ousadia de Spohr não para por aí. Ele relacionou crenças, culturas, fantasia e fatos históricos, como:  a  Idade das Trevas, A Queda de Roma e a Segunda Guerra Mundial. Escreveu um livro não linear com cenários épicos e contemporâneos, com uma linguagem bem diversificada.
    Talvez tenha sido não só o talento, como também a ousadia do rapaz ,que tenha levado seu livro à lista dos mais vendidos do Brasil e se tornar uma referência em literatura fantástica.
Qual a sua opinião?  Ousadia ou fantasia?
Erica Bosi

Leia também: 
                                                                              

Comentários