Dicas para mães que criam filhos sozinhas

Realidade


Os homens estão cada vez mais ausentes das famílias e cada vez mais negligentes de suas responsabilidades, enquanto as mulheres precisam se virar para cuidarem e educarem os filhos sozinhas, mesmo sem estarem preparadas para assumir todas as responsabilidades. A criação uniparental é realidade marcante no Brasil e é estafante tentar convencer  os pais assumirem seus papéis. É hora de auxiliar as mulheres que precisam de ajuda para assumirem a carga dobrada de responsabilidade, (mesmo achando esta uma realidade muito injusta).

Desafios

Crianças dão muito trabalho e as vezes é difícil resolver um problema sem o apoio  de outro, sem um parceiro para ajudar a por limites, a decidir a hora certa de tirar a fralda,  a comprar os remédios e dividir as responsabilidades. Isto sem contar em ter que arrumar alguém para cuidar do filho, enquanto tem que trabalhar fora e enfrentar os preconceitos da sociedade.
Tudo isso deixa as mulheres inseguras e preocupadas, mas é preciso deixar estes receios de lado e seguir em frente com confiança. Afinal só se aprende a ser mãe na  prática. 


Dicas

  • Tenha em mente que nenhuma família, pais ou filhos são perfeitos. Então, evite comparações.
  • Não há como ser mãe e pai, mas há como ser uma super mãe. Dê seu melhor como mãe, sem culpas.
  • As pessoas demonstram seus sentimentos de maneiras diferentes. Sendo assim, é  melhor não esperar que tratem seu  filho da mesma maneira que trataria, pois você pode se surpreender ou se decepcionar.
  •  Se a criança perguntar pelo pai, é melhor dizer a verdade e esclarecer suas dúvidas com delicadeza, escolhendo as bem as palavras.
  • Dizer a verdade sobre o pai não lhe dá o direito de falar mal dele ou alienar a criança. Quando ela tiver maturidade, tirará suas conclusões sobre o pai.
  • Ao contrário do que muitas pessoas pensam, ser mãe não é sinônimo de sonhos fracassados, pelo contrário, a experiência pode fazer a gente mudar nossos sonhos, tornando-os mais completos e concretos.
  • É melhor se virar sozinha e evitar depender dos outros. Somos fortes, corajosas, batalhadoras e podemos correr atrás do que precisamos e queremos.
  • Dose diariamente amor e limites, sendo carinhosa e ensinando a criança a respeitar o "não".
  • Você com certeza vai errar em algum momento na criação de seu filho, pois nenhuma mãe é perfeita. O importante é sempre se autoavaliar e tentar sempre dar o seu melhor na criação da criança.
  • Diga não. Faça a criança refletir sobre seus atos, mas antes de tudo seja amiga.
  • Evite falar sobre os problemas familiares perto da criança para que ela não fique chateada.
  • Proteja-a. Não a deixe na rua com estranhos. Fique sempre de olho. Supervisione o que a criança acessa na internet e o que faz com os colegas.
  • Não proteja demais a ponto de sufocar. Criança precisa ter  contato com outras crianças, com a terra e animais.
  • Curta muito seu filho porque ele cresce muito rápido. Brinque, dance, passeie, pinte, crie, ouça galinha pintadinha...
  • Cuide-se, passeie com as amigas, namore..., afinal você é mãe, mas ainda é mulher.
Quem já é mãe solteira ou separada a algum tempo sabe que a missão é difícil, mas não é um bicho de sete cabeças. Pelo contrário, filhos são bençãos maravilhosas em nossas vidas. Eles nos ensinam a ver o mundo com outros olhos e trazem a felicidade para o lar.


E você, o que pensa sobre isto? 





Leia também:

Comentários

  1. Tenho dois filhos lindos, e o pai não é presente e nem se preocupa com eles, no início ficava chateada e triste, hoje, olho meus pequenos e penso o quanto fui abençoada, e, particularmente, tenho dó do pai, pois perdeu tudo isso, inclusive o amor, pois as crianças vão se distanciando. Iracema A.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Iracema, pais como estes não sabem o que perdem. Filhos dão trabalho , mas trazem imensa alegria. Acho que nada na vida pode substituir o prazer de criar um filho e saber que é amado por eles.

      Obrigada pela visita!
      Volte Sempre!

      Excluir
    2. Olá, Iracema, tb. sou mãe que teve que criar seus filhos sozinhas, pq. os pais decidiram que não seriam presente nas vidas dos filhos. Eu tenho dois filhos, sendo um de casamento que durou 9 anos e uma filha de um relacionamento passageiro, no entanto os dois foram ausentes das vidas dos filhos. O que nos diferencia é que eu não fiquei com dó dos irresponsáveis e até escrevi um livro que fala sobre o abandono e da ausência paterna. Caso que queira conhecer deixarei o endereço do meu facebook (a autora do blog, assim permitir). Um abraço. https://www.facebook.com/luciene.dossantos.731

      Excluir
  2. O meu caso é diferente, o pai amava sem limites nosso filho e infelizmente ele se foi em um acidente trágico. Meu filho ficou sem pai quando tinha 1 ano e 8 meses, e tudo que era perfeito foi por agua abaixo. Hoje fazem alguns meses apenas que ele se foi e dói muito saber que ele não vai voltar e o pior que nunca mais meu filho terá aquele grande pai ao seu lado para poder brincar, de divertir, conversar. Ele simplesmente teve um pai por apenas 1 aninho de sua vida. Dor insuportável.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sua história é muito triste Michelle. Mas, tenho certeza que vocês vão superar esta dor, e no fundo restará apenas a saudade e o amor.
      Dê carinho em dobro para seu filho e mantenha a memória do pai viva no coração dele.
      Que Deus derrame bençãos na vida de vocês!
      Beijos!

      Excluir

Postar um comentário

Gostou da postagem? Deixe aqui seu comentário ou sugestão. Sua opinião é muito importante.