Como relacionar-se com pessoas difíceis no trabalho?

Ninguém merece chegar no trabalho e se deparar com uns malas sem alça dispostos a causar intrigas , fofocas e competições, não é mesmo? Mas, por incrível que pareça, é possível conviver com estes tipos de pessoas de maneira saudável no trabalho. Veja algumas dicas:



Os aproveitadores - São profissionais com ambição, mas sem criatividade. Passam o dia pensando em copiar uma ideia ou em como passar a perna nos outros. Querem se destacar no trabalho, nem que para isto precise pisar em seus próprios amigos.


Dica: Cuidado, não confie cegamente nos amigos do trabalho (a menos que os conheçam muito bem), um aproveitador pode estar perto de você, pronto para te dar uma rasteira. Mas caso isto aconteça, mantenha a calma, distancie-se desta pessoa e esforce-se para se destacar ainda mais no trabalho.


Os radicais - Se acham melhor do que os outros e que não precisam de ninguém. São inflexíveis, pessimistas, vivem de cara feia e falam tudo o que pensam na cara, não se importando em magoar as pessoas.

Dica: Mantenha a distância, pois são altamente explosivos!
Mas caso não consiga ficar longe, peneire as crítica e nunca deixe que eles te maltratem.



Os vigilantes - São as pessoas que tomam conta da vida das outras o dia todo, apontam seus erros e ainda contam para outros.  Alguns são até perfeccionistas, mas na verdade deixam a desejar em seu próprio trabalho por passarem tempo demais procurando o erro no trabalho dos outros.

Dica: Dê o seu melhor no trabalho sem se importar com quem está te vigiando.

Lobos vestidos de cordeiros - São os que se fazem de bonzinhos e injustiçados,  mas na verdade são  maldosos e encrenqueiros. São parecidos com o vigilantes, pois gostam de tomar conta da vida dos outros e lhes dizer como se comportar, vestir ou agir, afinal pregam a moral. A diferença é que eles escondem sua verdadeira personalidade.

Dica: Tenha senso crítico ao ouvir os discursos destas pessoas, pois elas tem o poder persuasão. Não se deixe conduzir e nem aceite comparações pouco construtivas.


Maria vai com as outras - São aquelas que não tem personalidade própria e vão na onda dos outros. É comum vê-las em grupos fechados ou "panelinhas" , dizendo "amém" a tudo o que o "líder" diz. Parecem inofensivas quando estão sozinhas, mas são responsáveis por grande parte das fofocas e divisões no ambiente de trabalho. 

Dica: Mantenha-se neutro em relação às panelinhas e não participe das fofocas, pois este comportamento pode ser contagioso.


Os terríveis - São os piores profissionais para se conviver no trabalho. Eles reúnem características de todos os tipos descritos acima e pensam que são insubstituíveis. Tem o poder de tirar a sua paciência,  te magoar , te fazer perder o sono e até  te deixar doente. 

Dica: Faça terapia, orações, tome um calmante, pratique ioga, ou qualquer outra coisa que lhe ajude a encarar mais um dia de trabalho ao lado desse tipo de pessoa sem se adoecer.  Brincadeirinha... rsrs
Faça tudo o que for possível para conviver bem com estes profissionais, mas caso a situação fique extremamente difícil procure ajuda , seja do chefe, do orientador pedagógico, do gerente de RH ou de um psicólogo. Não deixe que o problema se transforme em uma bola de neve ou afete sua vida pessoal.


O bom relacionamento interpessoal no trabalho torna o ambiente saudável e produtivo. Quanto melhor você convive com as pessoas, mais você aprende e cresce profissionalmente.


 O que achou do post? Deixe um comentário!


Comentários

  1. Muito bacana, gostei das dicas e até identifiquei alguns. Saudades.BJS,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Maze Oliver!
      Que bom te ver por aqui novamente!
      Fico feliz que tenha gostado. É fácil identificar umas pessoinhas nesta postagem, não é mesmo? Acho que em todo trabalho tem algum tipo destes.
      Grande abraço e volte sempre!

      Excluir

Postar um comentário

Gostou da postagem? Deixe aqui seu comentário ou sugestão. Sua opinião é muito importante.