Diferenças entre cursos técnicos e faculdade. Qual a melhor opção?

diferença entre faculdade e curso técnico

No Brasil sempre houve uma preocupação em ter um modelo de educação que fosse voltado para o mercado de trabalho. Durante o processo de industrialização do país, eram os cursos técnicos os anunciados nas escolas públicas como os responsáveis por suprir a alta demanda de profissionais.

Alguns anos se passaram e novos postos de trabalho foram surgindo para quem tinha uma graduação, assim novos cursos foram criados e a faculdade passou a ser sinônimo de sucesso profissional. Ao mesmo passo que a formação técnica foi um pouco deixada de lado. Mas a partir dos anos 2000, o mercado de trabalho sentiu a necessidade de mais mão de obra técnica e foi então que a popularidade desse tipo de curso aumentou.

Para completar o hall de opções de formação, surgiram os cursos de graduação tecnológica. Essa modalidade também visa uma rápida inserção no mercado de trabalho e um período de estudo menor do que uma graduação de curso superior.

Principais diferenças

Se você está interessado em ingressar no mercado de trabalho ou até mesmo se recolocar saber as diferenças entre os tipos de formação é essencial. Em resumo o que as difere é o tempo e o foco profissional.


A faculdade normalmente dura de 4 a 5 anos. Das três opções é a mais completa quando se trata de conhecimento teórico aliado ao conhecimento prático. O longo período faz com que o estudante aprenda todas as nuances da futura profissão, de forma aprofundada. Já a graduação superior em tecnologia, dura em média 3 anos e pode ser considerada uma versão resumida da faculdade mas com um foco maior no mercado de trabalho.
A modalidade curso técnico tem uma duração bem menor, de 2 meses a 3 anos, a formação é rápida justamente para dar maior foco em áreas profissionais específicas. E existe também a modalidade técnica de nível médio, voltada para os alunos que ainda estão na escola.


Há três maneiras de fazer o curso técnico de nível médio, de forma integrada que é quando o aluno faz as disciplinas normais do ensino médio mas ao mesmo tempo cursa o técnico. Concomitante é quando o aluno faz o ensino médio e técnico em instituições diferentes mas no mesmo período. Já quando o estudante já se formou no ensino médio e procura um curso técnico é chamado de ensino subsequente.
Descrição: https://ssl.gstatic.com/ui/v1/icons/mail/images/cleardot.gif

Curso técnico na prática



Segundo Orlan Kubaski, gerente do Núcleo de Recursos Humanos do Senac Rio Grande do Sul, o curso técnico é melhor aproveitado quando há a necessidade do mercado em suprir algumas áreas específicas “A formação humanista, que faz com que o bacharelado seja mais extenso, é importante. Porém, muitas vezes, o mercado busca apenas um profissional pronto para operar em uma determinada área, capacitado para uma função específica” afirma.
Os cursos técnicos são ainda melhor aproveitados quando voltados à profissões regulamentadas. É o caso dos técnicos em enfermagem e técnicos em química.  

A escolha pode parecer difícil, por isso é importante considerar sua disponibilidade de tempo e recursos, além de qual a sua necessidade em se inserir no mercado de trabalho.

  
 Texto de Jacqueline Gonçalo mulherzinhas.com)

Comentários